corpos, minissaias e um assunto batido


“cubra os peitos e mostre o cérebro”

É com essa frase que começo o post. O que quero com ela? simplesmente perguntar: ok, mas será que uma burqa nos faria pensar melhor? ou será que o tamanho do peito influencia fisiologicamente na capacidade do cérebro? Ou então será que os dois são mutuamente exclusivos? Ou a roupa influencia diretamente nos sentimentos? Não. Então, de onde saiu a frase? de uma cultura que liga vestimenta com inteligência. Sabe aquela coisa de se dar o valor? é essa maldição que nos faz/fez pensar durante muito tempo que as roupas têm um significado e esse significado é exclusivamente o que o povo dá.

Vestir um short curto, ou uma minissaia não faz de alguém uma prostituta. O que faz de uma pessoa uma prostituta é ela usar seu corpo como seu instrumento de trabalho fazendo sexo e cobrando por isso. SÓ.
Como vem sendo visto nas Slut Walk pelo mundo, uma roupa qualquer não significa que a pessoa queira ser abusada sexualmente. Essas coisas já foram muito faladas, mas por saber que as pessoas ainda insistem em argumentos batidos, vou reforçar.
“Mas Jheh, elas tão provocando os homens, eles são fracos p/ isso”
É por essas e outras que penso que homens devam apoiar a campanha. Em que mundo homens são seres primitivos guiados por instintos e sem inteligência ou discernimento para atacar uma mulher por causa da roupa que ela está usando? Se eu fosse homem ficaria extremamente ofendido com esse tipo de argumento. É tão século passado essa coisa de homem ter que “provar que é macho”…
“Mas Jheh, eles vão olhar!”
Todo mundo olha! eu penso que isso é um mal hábito da nossa cultura: olhamos demais, falamos demais, apontamos demais, somos expansivos demais, intrometidos demais. Tu pode passar de sainha ou toda coberta: vão olhar. Tá aí, mais uma coisa para a listinha de mudanças: parar de olhar a vida dos outros.

Agora, vamos supor que a culpa fosse da roupa. Então pq tantas muçulmanas são abusadas se elas se preservam ao máximo? mistérios da humanidade? não, é pq a roupa não tem a ver com isso, é só mania/hábito de tirarem a culpa do agressor e colocarem na vítima.

Voltando à primeira frase: “cubra os peitos e mostre o cérebro”
Não vejo sentido algum na mesma. Não há necessidade de dividir mulheres em categorias de santas e putas. Quem faz com que seja assim? Nós, a sociedade. E só nós podemos provocar a mudança. É ser linda E inteligente. Dizem que há poucas por aí, mas será que deveria haver poucas mesmo (por fatalidade da natureza ou da genética), ou a maioria simplesmente foi ensinada que só dá p/ ser uma coisa?